Energia

O crescimento da procura de sistemas de climatização verificado nas duas últimas décadas, dos mais simples e de pequena dimensão no sector residencial e dos pequenos serviços, aos mais complexos de grandes dimensões sobretudo do sector terciário, reflectiu a elevada taxa de crescimento do parque construído, bem como a melhoria de vida das pessoas e o seu maior grau de exigência em termos de conforto.

 

A acompanhar esta tendência, seguiu-se o natural aumento do consumo de energia …

 

Em Abril de 2006, a publicação de 3 diplomas vem regular e introduzir a eficiência energética nos nossos edifícios, residenciais e de serviços.

Assim, o Decreto-lei 80/2006 - Regulamento das Características de Comportamento Térmico dos Edifícios (RCCTE), veio regular os edifícios residenciais e pequenos edifícios de serviços que disponham de equipamentos de climatização de potência total inferior a 25 KW ou sem climatização.

 

 O Decreto-lei 79/2006 - Regulamento dos sistemas Energéticos de climatização de edifícios (RSECE) aplicam-se a edifícios residenciais, pequenos edifícios de serviços com potência de climatização total superior a 25kW e a todos os grandes edifícios de serviços independentemente da sua potência de climatização.

 

O Decreto-Lei 78/2006 - que estabelece o sistema de Certificação Energética e da Qualidade do Ar interior (SCE), aplica-se a todos os edifícios abrangidos pelos Decreto-Lei 79 e 80 de 2006, tendo como objectivo a atribuição de uma classe energética.

 

Sintetiza-se no gráfico seguinte os quatro módulos sobre os quais a certificação energética incide:

 

 

Desde a entrada em vigor dos diplomas e de acordo comcalendarização definida pela entidade gestora, gradualmente tem sido alargado o âmbito de aplicação da legislação térmica, sendo que a partir de 01 de Janeiro de 2009, se torna obrigatório para todos os edifícios existentes a aplicação do SCE.

 

Quer seja na construção, venda ou arrendamento ou utilização de um edifício, deverá sempre existir o certificado energético.

 

Este documento tem uma validade legal de 10 anos, sintetizando uma análise energética que retrata a qualidade do seu imóvel. Trata-se de uma mais-valia para todos os destinatários uma vez que apresenta ao utilizador um conjunto de recomendações de melhoria sendo também analisada a sua viabilidade económica das mesmas.

A Advanced Way, põem à sua disposição uma equipa de Peritos Qualificados pela ADENE, para efectuar a certificação energética da sua fracção ou edifício.

 

A Energia no sector terciário